COMPANHEIRO PEDE AJUDA. E PRECISA!!! - O CLARO: A saga de um advogado que teve sua Inscrição Definitiva CANCELADA, via Fax, quando estava gravemente enfermo

COMPANHEIRO PEDE AJUDA. E PRECISA!!!


Fonte: http://naufrago-da-utopia.blogspot.com.br/

 * Projeto Livraria Móvel e/ou Livraria Sobre Rodas 

O Projeto visava lutar contra a depressão e dor crônica através de um trabalho super gratificante com o qual sempre me identifiquei qual seja o de doação, empréstimo, divulgação e venda de livros didáticos, técnicos, ciências humanas, literatura visando levar a leitura de livros ao maior número de comunidades carentes no Rio de Janeiro tendo em vista o Princípio Constitucional do Direito à Leitura, em decorrência dos Princípios Constitucionais do Direito à Educação, à Cultura, Formação técnica e/ou universitária e pós graduação e perene atualização. 

Tendo em vista meu histórico com depressão, fibromialgia, síndrome do cólon irritável criei este Projeto de venda de livros novos e usados sendo vendidos a preços em torno de R$1,99; R$2,99; R$3,99 e até R$9,99.

Teve início, o festejado e exitoso Projeto, próximo de minha casa, no Humaitá, em frente à COBAL, no Rio de Janeiro, no período 2001/2002. 

Infelizmente foi descontinuado após nova grave crise depressiva em 2004 que perdurou por longos oito anos.

O valor apurado na venda de livros era utilizado para pagamento de tratamento médico especializado, exames médicos e compra de medicamentos.

Vendia, também, livros novos e usados a preços módicos no Mercado Livre utilizando o nome: Busílis.

Outra forma de vender era deixando livros consignados em parceira com a Livraria Luzes da Cidade, localizada na Rua Voluntários da Pátria e numa banca de jornal no Humaitá. Estas parcerias faziam com que eu tivesse um pequeno lucro para bancar o Projeto. 

Nesta época os Correios cobrava cerca de R$9,00 para enviar livros via Encomenda Normal a todos os lugares do Brasil. Então os livros eram vendidos para norte, sul, centro-oeste, nordeste atendendo a demanda de moradores de regiões onde não havia livraria. 

O preço do envio ficava mais caro do que o preço cobrado por dois, três ou quatro livros. Ao preço de R$2,99 a venda de três livros igualava o preço da remessa.

Escrevi para muitas autoridades executivo, dos Correios e parlamentares solicitando isenção de cobrança para remessa de livros. Para evitar fraudes bastaria que os Correios recebessem as embalagens abertas e fechadas nas unidades dos Correios. 

Muitos anos depois tomei conhecimento que estas remessas foram desoneradas.

Meus livros eram de altíssima qualidade e relevância no mercado e eram super conservados e colocados em locais frescos.  

Vários livros esgotados e fora de catálogos, mas que faziam parte da bibliografia para Concursos, Cursos de Pós Graduação, de Mestrado e Doutorado

O retorno da venda dos livros era utilizado para pagamento de tratamento especializado e compra de medicamentos.

Até a presente data, junho de 2014, tomo medicamentos para dor crônica, fibromialgia, e faço tratamento rigoroso contra a depressão.

O documentário abaixo feito por estudantes da área de Comunicação da PUC/RJ foi resgatado como forma de prova de minhas limitações de saúde e distúrbios psicológicos e emocionais graves. 

Eis o link do singelo documentário:

Projeto Livraria Móvel - Livraria Sobre Rodas.

https://www.youtube.com/watch?v=3-9VW__ayTo

Obrigado a todos e todas pela solidariedade.
Fernando Claro
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Umberto Eco: 14 lições para identificar o neofascismo e o fascismo eterno | GGN | O CLARO: A Revista Samuel reproduz o texto de Umberto Eco Ur-Fascismo, produzido originalmente para uma conferência proferida na Universidade Columbia, em abril de 1995...

'Risco de economia permanecer estagnada é visível a olho nu', diz presidente do IBGE - 05/12/2016 - Mercado - Folha de S.Paulo | O CLARO: Triste ver nosso país indo pro buraco!

Lei que pune homofobia em SP já aplicou cem advertências e 15 multas - 07/11/2016 - Mônica Bergamo - Colunistas - Folha de S.Paulo