Transparência Capixaba: O erro de Paulo Hartung, por Délio Ptates do Amaral - O CLARO: Espera-se do Governo Reanto Casagrande que adote todos os mecanismos e providências que por ventura estiverem faltando para aumentar a Transparência da gestão estadual e da aplicação do dinheiro público.

TRANSPARENCIA CAPIXABA E PAULO HARTUNG E POR  DELIO PRATES
http://www.transparenciacapixaba.org.br/artigo-detalhe.aspx?verArtigo=O+ERRO+DE+PAULO+HARTUNG

Artigo

O erro de Paulo Hartung

Délio José Prates do Amaral, Leonardo da Costa Barreto e Rafael Cláudio Simões
Délio José Prates do Amaral é advogado, contador, secretário de Relações Instucionais da Transparência Capixaba, Tesoureiro da OAB-ES, membro do Conselho de Ética Pública do Espírito Santo, membro fundador da Transparência Capixaba e seu secretário-geral de 2007 a 2009. Leonardo da Costa Barreto é promotor de Justiça e presidente do Conselho Deliberativo da Transparência Capixaba, membro fundador da Transparência Capixaba e seu secretário-geral de 2001 a 2007. Rafael Cláudio Simões é historiador e professor, membro fundador da Transparência Capixaba é o seu atual secretário-geral.


Alguns dias atrás o ex-deputado e ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo, José Carlos Gratz, em entrevista ao jornal Valor Econômico, amplamente reproduzido por jornais e outros meios de comunicação locais, fez ameaças, inclusive físicas, ao governador do Estado, Paulo Hartung.
Vale, antes de chegar ao principal, destacar que de modo algum é possível aceitar a possibilidade da política ser tratada dessa maneira. Nosso repúdio à violência inclui todas as suas possíveis manifestações, inclusive na política.
A resposta do gabinete do Governador reafirmava o discurso batido e reprisado sobre o crime organizado não estar morto e de que todos devemos ficar vigilantes, etc. etc. etc.
A corrupção é algo que não se acaba e que, por isso, nos remete a necessidade de sempre estarmos alertas. Estarmos alerta, no entanto, pressupõe agirmos de forma institucional, programática e preventiva.
Enquanto não superarmos a visão da corrupção como um problema simplesmente moral e nos fixarmos nos anti-heróis da corrupção como fonte única e causadora do problema, continuaremos sempre a conviver com essa ameaça de forma intensa.
O governador Paulo Hartung liderou um governo com inéditos índices de popularidade e que, no entanto, não quis (ou não conseguiu - no caso pouco importa) implementar políticas públicas estruturantes e preventivas de combate à corrupção.
Depois das medidas previstas no termo de combate à corrupção que assinou com a Transparência Capixaba, no distante 1º de agosto de 2003, que, por sinal, não foram cumpridas em sua inteireza, quase nada mais foi adiante.
O Portal da Transparência, um desses elementos estruturantes, só saiu de forma mais organizada, apesar de ainda ser incompleto e com linguagem de difícil entendimento para o cidadão comum, quando chegou o prazo da Lei de Responsabilidade Fiscal. O que existia antes era, no máximo, um arremedo que não merecia esse nome.
O governador Paulo Hartung não se mexeu, como seria de se esperar do líder do Poder Executivo, para promover a integração dos órgãos de combate à corrupção.
O governador Paulo Hartung praticamente nada fez para qualificar a ação da Polícia Civil que, entre outras, têm a atribuição de combater a corrupção para o exercício de suas funções.
O governador Paulo Hartung não só não reduziu, como aumentou o número de cargos em comissão durante o seu governo. Alguma coisa em torno de 1,3 mil deles foram criados nesses quase oito anos.
O governador Paulo Hartung não intensificou a ação das Corregedorias nas várias instituições públicas. Vale destacar o papel dessas organizações no combate interno à corrupção. A experiência de sucesso da Polícia Federal e dos conselhos nacionais de Justiça e do Ministério Público e a mais recente na Polícia Rodoviária Federal, assim o comprovam.
O governador Paulo Hartung não buscou o envolvimento da sociedade civil organizada para, por exemplo, a criação de um Fórum de Transparência e Combate à Corrupção. No máximo de alguns "líderes", escolhidos a dedo, para referendar algumas de suas decisões com a suposta participação da sociedade.
Poderíamos ainda citar outros aspectos, mas o objetivo aqui é chamar a atenção da oportunidade perdida para realizarmos o combate à corrupção de forma técnica, institucional, preventiva e, ao mesmo tempo, com o envolvimento da sociedade.
Talvez, por interesses políticos, o governador Paulo Hartung prefira se posicionar como o paladino do combate à corrupção que enfrenta os anti-heróis que por aqui existem. Isso, entretanto, nos deixa um legado institucional e político muito ruim.
A onça continua viva, sendo alimentada pela inércia governamental e pelos discursos inflamados de Paulo Hartung, que alvejou a pequena política, perdendo grande oportunidade de fortalecer as instituições, estruturando o Estado e a sociedade a favor da legalidade, da transparência e da probidade. Esse é o grande erro de Hartung.
(c) 2009. Transparência Capixaba - Todos os direitos reservados.
Porto - Internet de Resultados
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

目標博客OABRJ(利維坦)與費爾南多克拉羅·迪亞斯,律師 - 成立於1982,2012年創建 | Mùbiāo bókè OABRJ(lì wéi tǎn) yǔ fèi'ěrnánduō kèlā luó·dí yà sī, lǜshī - chénglì wū 1982,2012 nián chuàngjiàn

Ciele Blog OABRJ (Leviathan) VERZUS Fernando Claro Dias, právnik, sa tvoril v roku 1982, ktorá vznikla v roku 2012

Objectives Blog OABRJ (Leviathan) VERSUS Fernando Claro Dias, lawyer, formed in 1982, UFRJ, created in 2012, read and more than 110 parents, with 245 thousand hits on this date